Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > E o povo fica de bobo, ouvindo balela e recebendo balas
 
E o povo fica de bobo, ouvindo balela e recebendo balas
09/02/2012 as 19:55 h  Autor vanderley soares  Imprimir Imprimir
Já é unanimidade entre os baianos que, mesmo que a greve acabe amanhã, a realização do carnaval de Salvador, apesar dos prejuízos financeiros e de imagem para o Estado, seria um grande risco realizá-lo.

A greve dos policiais civis na Bahia está no seu nono dia e sem nenhuma solução aparente. De um lado os policiais cercados pelo Exército e Força Nacional na Assembleia Legislativa, com reivindicações justas, mas divididos entre um grupo ordeiro e outro que aponta as armas para os cidadãos, promove badernas, quebra-quebra e até fechamento de ruas, avenidas e estradas estaduais e federais. Do outro o Governo do Estado, que alega que não pode pagar mais do que a lei permite para não onerar os cofres públicos e, no meio desse tiroteio de argumentos e pressões, o povo, o bobo da corte, que assiste de forma apreensiva pelos quatro cantos da Bahia o aumento generalizado da violência.

Dois grupos estão se digladiando em meio a tudo isso, a oposição e situação. A situação, que deixou Brasília para solidarizar-se com o Governador, e os deputados de oposição, que apóiam os grevistas e suas atitudes insanas. Que os policiais ganham mal isso todos nós sabemos. As últimas notícias dão conta de que a única coisa que falta é a revogação das prisões”, diz líder sobre fim da greve. O Secretário afirma que a revogação das prisões não depende do governo do Estado e sim da Justiça. A anistia a todos os policiais militares envolvidos na greve parcial e anulação dos mandados de prisão dos 12 líderes do movimento é a principal reivindicação dos grevistas para por fim à paralisação.

A bancada de oposição na Assembléia Legislativa divulgou uma nota onde diz que, como fez desde o primeiro momento, reitera a sua disposição de contribuir para que a Bahia saia do atual impasse. A greve dos policiais militares já causou conseqüências dramáticas à população. É chegada a hora de restabelecer a paz e a tranquilidade entre os baianos. Infelizmente o grande responsável pela duração e intensidade da atual greve da PM é o Governo do Estado. O movimento poderia ter sido evitado ou terminado rapidamente. Mas o que esperar de um Governo que, durante cinco anos, assistiu passivamente o crescimento da violência na Bahia atingir 22.000 homicídios?A greve da PM ocorre num ambiente de grande fragilidade da segurança pública no Estado, gerada por sucessivos erros na sua condução, concluiu a nota.

A grande maioria do povo baiano, já tão sofrida com o analfabetismo e a pobreza que imperam pelos rincões afora, apoia uma atitude coerente entre os dois lados. E também já é unanimidade entre os baianos que, mesmo que a greve acabe amanhã, a realização do carnaval de Salvador, apesar dos prejuízos financeiros e de imagem para o Estado, seria um grande risco realizá-lo.

O povo baiano está preocupado com a segurança. Sitiados em suas próprias casas, com centros comerciais fechados pelos atos de vandalismos e pelos ladrões oportunistas que aproveitam a fragilidade do momento, o baiano não sabe mais a quem apelar, uma vez que todas as instâncias jurídicas e administrativas já estão por aqui instaladas.

Que o bom senso prevaleça e que os marginais da polícia sejam banidos, que o governador do estado arque com o ônus de ter colocado o Estado da Bahia no noticiário internacional como um centro ingovernável, sim, pois segurança pública é tudo. E o povo, os comerciantes, os prestadores de serviços, principalmente os bares, restaurantes e hotéis, como serão compensados por tamanha desgraça que abateu sobre nós?

Que o povo saiba também discernir que os bandidos que estão hoje na Polícia Militar podem estar se promovendo para um futuro no parlamento, onde estarão livres e impunes. É preciso ficar atento para não ser iludido, nem pelo governo nem pelos bandidos de farda. E que os deputados baianos pensem que a Bahia é uma só, senão, corremos o risco de uma separação, divisão já proposta no Congresso Nacional. Hoje essa divisão já é vista, mas estão de um lado os que prometem, os que fingem que trabalham, mas que estão com suas fardas apenas como crachás para o crime, e aqueles que honram suas fardas, suas família e respeitam o estado democrático instituído.

Vanderley Soares
Radialista/jornalista DRT 5802

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK