Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O arcaico Estado-empresário
 
O arcaico Estado-empresário
15/08/2011 as 15:48 h  Autor tenente dirceu  Imprimir Imprimir
As ferrovias, que nasceram particulares e fizeram a base do desenvolvimento de vastas regiões, sofreram o processo de estatização e tiveram o melancólico fim que todos conhecemos. Agora, seu renascimento, se ocorrer, é uma tarefa gigantesca. Prova de que o Estado não é bom empresário.

Foi por conta dos investimentos privados que não tivemos de amargar o racionamento de eletricidade previsto para acontecer entre os anos 80 e 90 e experimentamos os benefícios da internet e do telefone celular, entre outros. Se os setores tivessem se mantidos estatais, com toda aquela gama de privilégio a uma casta de funcionários e outros problemas que amarram o Estado, jamais teríamos chegado aos patamares de hoje.

O ideal é que o Estado seja apenas o poder concedente, normatizador e fiscalizador dos serviços. O resto é tarefa de iniciativa privada, que o faz com toda agilidade. Um outro exemplo está no setor bancário. Privatizados, os bancos estaduais, que durante décadas serviram para sustentar currais e plataformas político-partidárias, deram lugar a instituições privadas ágeis e contemporâneas. Mas, nesse particular, o Governo Federal ainda não fez a sua parte, pois se mantém empresário através do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, duas mega-instituições estatais que fazem o mesmo serviço da rede privada e cujo funcionalismo, cheio de direitos e sem obrigações correspondentes, deixa a desejar no atendimento à clientela, boa parte dela cativa.

Está na hora de se fazer algo também nesse setor. Numa economia de mercado como a de hoje, não se justifica mais a existência de banco comercial estatal com funcionários vitalícios e inamovíveis, que podem até descumprir a hierarquia da própria organização. Assim, um simples gerente, sabendo que não será punido, poderá negar-se a cumprir o determinado pelo seu superintendente, estabelecendo a desordem. Vitalícios e inamovíveis devem ser apenas os julgadores, pois representam o poder do Estado e, mesmo assim, suas decisões são submetidas a colegiados superiores. É preciso mudar, manter estatal apenas o Banco Central, fortalecido e capaz de fiscalizar, exigir e punir os particulares concessionados quando isso se fizer necessário.

O tempo do Estado-empresário foi importante para o país, mas hoje é passado. Tudo o que a iniciativa privada é capaz de executar, não deve se manter estatal. É entulho que deve, urgentemente, ser removido. Para o bem e a competitividade de nossa economia...
 
Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves. Dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
No h comentrios.
img
img
RSS  Artigos Artigos

O escritor foi e ainda é, para as crianças que estão começando a descortinar o infinito horizonte da palavra, algo inatingível, meio mágico, talvez mítico.Isso, dito por elas mesmas. A criança é naturalmente curiosa, sedenta de conhecimento e experiência, e ficar cara a cara com...
Na civilização humana, em todos os tempos as gesticulações passaram a simbolizar determinados comportamentos e construir significados diversos para cada sociedade e para cada povo. Gestos humanos servem tanto para simbolizar comportamentos positivos, bem como...
https://www.novoeste.com/uploads/image/artigos_gaudencio-torquato_jornalista-professor-usp-consultor-politico.jpgHoje, tomo a liberdade de fazer uma reflexão sobre a vida. Valho-me, inicialmente, de Sêneca com seu puxão de orelhas: “somos gerados para uma curta existência.  A vida é breve e a arte é longa. Está errado. Não dispomos de pouco tempo, mas desperdiçamos muito. A vida é longa...
A presidenta do Instituto Justiça Fiscal aponta o falso dilema para a escolha eleitoral de 2022 e indica as fontes de custeio para vencer o quadro desolador de fragilidade da maioria do povo brasileiro. A próxima eleição, se ocorrer, certamente exigirá muito de nós. Mas não será uma escolha difícil. Para começar, terceira via não existe! Ou melhor: existe, em Bolsonaro. Este, que pode parecer insano, sádico, intratável, joga o jogo e...
A Constituição Cidadã erigiu a dignidade da pessoa humana como seu fundamento, ao lado da soberania, cidadania, valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e o pluralismo político. Trata-se, portanto, de um dos pilares que legitimam o Estado Social e Democrático que fundou....
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img



img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ambientado em uma comunidade japonesa de São Paulo, lançamento ficcional da escritora Juliana Marinho promove o poder da música como intervenção para cura de doenças. A musicoterapia, união da arte e saúde em busca da reabilitação ou promoção do bem-estar, é a responsável...
Por meio da personagem Malu, as escritoras e letrólogas paulistas Nanda Mateus e Raphaela Comisso dialogam com as crianças sobre diversidade familiar e desmistificam a homoparentalidade. Nanda Mateus trabalha com educação e inovação em tecnologias para...
Existem músicas para os momentos felizes, tristes e até aquelas que marcam datas especiais, mas para Melody King é diferente: as canções são uma consequência — infelizmente incontrolável — de uma rara doença. As dificuldades em lidar com as embaraçosas situações,...
img
img
RSS  Top Vdeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img
img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK