> Principal > Notícias Nacionais > Manifestações/Greves > SINDICATO DE RADIALISTAS APRESENTA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DA CAMPANHA SALARIAL 2010
SINDICATO DE RADIALISTAS APRESENTA PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DA CAMPANHA SALARIAL 2010
Data 13/02/2010 as 11:49 h  Autor administrador  Vezes 2482  Imprimir Imprimir
É preciso acelerar o processo de conquista que levará os trabalhadores a esse patamar. “Não é o sindicato que vai decidir o valor do salário, mas sim o coletivo, construindo novos caminhos através da mobilização e da participação nas atividades que estão sendo desenvolvidas por nós”, ressaltou a direção do Sinterp.

É absolutamente necessário um piso salarial superior a dois salários mínimos. A proposta é R$ 1.155,34 para que seja possível recuperar a perda salarial. O que está em jogo é o reajuste acima da inflação. Para os municípios do interior com maior poder econômico (Vitória da Conquista, Barreiras, Jequié, Santo Antônio de Jesus, Eunápolis, etc) esse reajuste deveria ser de R$ 924,27 e para os demais, pelo menos, R$ 808,73.

Para os dirigentes do Sinterp, as emissoras têm faturado bastante, principalmente com os “merchandising”. Eles afirmam que a crise não atingiu esse setor da economia. Houve um aumento na exibição de comerciais durante o ano todo. O comércio foi aquecido. É necessário que esse lucro seja repassado também aos trabalhadores.

Ampliar direitos

Outro ponto da pauta de reivindicações é a participação dos trabalhadores no lucro das empresas. Algumas delas pagam esse montante aos funcionários desde a sua fundação. Isso gera motivação no radialista, torna o ambiente de trabalho mais produtivo, melhora a distribuição de renda. Para a direção do sindicato é uma questão de direito. Sem o trabalhador as empresas não cresceriam tanto. É a valorização daquele que é o responsável pelo lucro bruto da empresa. Lembrando ainda que outras categorias, como bancários e petroleiros, já conquistaram isso.

A unificação do piso salarial da capital e do interior criando um valor único é uma proposta que precisa ser levada à frente, afinal, a mão-de-obra do radialista do interior e a do trabalhador da capital têm a mesma importância e geram o mesmo lucro. Além disso, no interior há um número menor de funcionários em cada emissora e também existe o ganho político do veículo.

Está sendo apresentada pelo sindicato uma estratégia de unificação progressiva. Os dirigentes sindicais acreditam que não dá mais para ter uma diferença tão grande de salário. O piso negociado para o interior na última convenção dos radialistas está em R$ 500,00 enquanto o salário mínimo é R$ 510,00. Isso significa que se a lei permitisse que o patronato pagasse ainda menos do que isso, é o que o radialista do interior estaria recebendo.

A ampliação da licença-maternidade de quatro para seis meses vem conquistando grande apoio, principalmente das trabalhadoras, pois atualmente, com a mulher assumindo vários compromissos e tendo uma participação ativa no mercado de trabalho, sempre existe a preocupação em saber quem vai cuidar da criança quando a mãe retornar às suas atividades, tornando os primeiros meses fundamentais. O espaço de tempo mínimo para a amamentação de um bebê é de seis meses e depois que a mãe volta a trabalhar não dá mais para continuar proporcionando isso à criança.

Além disso, de acordo com a lei 11770, de 9 de setembro de 2008, as empresas que colocarem em prática a extensão da licença para seis meses receberão em troca incentivos fiscais. Já existem várias categorias que conquistaram esse direito na convenção coletiva, como por exemplo: os químicos e petroleiros da Bahia. A nova geração de cidadãos é que está ganhando com isso.

Saúde

O direito dos funcionários a um plano de saúde tem sido negado pelos patrões, que o impedem de ser garantido na convenção coletiva. Algumas emissoras já praticam, mas a maioria não. Ter um plano de saúde oferecido pela empresa é uma pauta histórica dos trabalhadores. O fato é que quanto menos o trabalhador for acometido de doenças, mais lucratividade ele vai gerar para a emissora, pois não vai se ausentar nem precisar do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

O empresário que não está atento a isso, está “dando um tiro no pé”, pois não vai dispor de uma mão-de-obra de qualidade, que, além disso, vai estar preocupada em ir à fila do Sistema Único de Saúde (SUS)  para conseguir tratamento médico. Até que o patronato se conscientize, quantos trabalhadores ainda irão passar pelo ocorrido com Luciano Camacan, funcionário da TV Aratu, que faleceu aos 23 anos em decorrência de um quadro de meningite meningocócica, no dia 1º de dezembro de 2009?

Reajuste Linear

No ano passado, foi garantido para os radialistas uma reposição de acordo com a inflação do período apenas para quem ganhava até R$ 1.400,00 . Os trabalhadores remunerados acima disso tiveram o maior prejuízo, pois não conseguiram sequer recuperar a inflação, uma vez que os empresários alegaram que estavam em crise. O salário dessa parcela vem caindo cada vez mais e não há uma reposição salarial em cima da perda. “Deixo de comprar outras coisas que vão fazer falta para suprir as necessidades. Privo-me de ter lazer, pois preciso pagar a escola dos meus filhos. Não posso dar o que quero a eles, o que causa constrangimento. Trabalhamos sendo muito cobrados, é nesse o momento que o stress aumenta. A perda maior com a diminuição do salário é com a saúde. A motivação para trabalhar acaba”, afirmou um trabalhador da Rede Bahia.

Sinterp (Sindicato dos Trabalhadores em empresas de rádio, televisão e publicidade).
Comente via Facebook

Mais Notícias
Não há comentários.
Redes Sociais
TWITTER GOOGLE + FACEBOOK YOUTUBE LINKEDIN INSTAGRAM
img
RSS  Artigos Artigos

A greve da Polícia Militar da Bahia, embora ilegal, serviu para – além de forçar o governo a rever os salários e condições de trabalho dos policiais – demonstrar à sociedade local e ao Brasil o que acontece quando uma população fica sem o trabalho da polícia para sua proteção. Os homicídios multiplicaram-se por...

Pelos milênios, a celebração da Semana Santa demonstra-nos o inigualável suplício vivenciado por Jesus, o Cristo Ecumênico, o Celeste Estadista, na Sua dedicação extremada em prol da Humanidade. Sendo Espírito sem mácula, o Ungido de Deus voluntariamente carregou nossos erros sobre...

Nos anos de 2011 a 2013 as denúncias de tortura em todo país cresceram 129% (de 816 casos se chegou a 1.162, por meio do Disque 100). Números nitidamente subnotificados. Difusamente praticada na ditadura militar de 1964-1985 (que formalizou os instrumentos da coação), a tortura é prática comum...

No ano em que o Plano Real comemora seu aniversário de duas décadas, constatamos que a inflação inercial, infelizmente, está de volta ao Brasil.  A série histórica recente comprova que não temos conseguido ficar no centro da meta. Em verdade, os últimos dados indicam que...
Existe uma evidência preocupante que aponta para o crescimento da população da geração nem-nem, composta por jovens que nem trabalham nem estudam. Essa é uma tendência não só no Brasil, mas mundial conforme mostra pesquisa realizada pela...


img


img
img
img
Dicas de leitura
img
No Brasil, durante o conflito de 1864-70, não houve oposição à guerra imperialista que o Estado imperial livrou contra o Uruguai e o Paraguai. Durante a República Velha, quase apenas os positivistas ortodoxos opuseram-se à pesada indenização que gravou o Paraguai, denunciando a agressão inaceitável contra as duas pequenas nações. Após 1930, a história da...
Com mais de 15 mil exemplares vendidos em duas semanas, novo livro de Rafael Figueiredo aborda os princípios da doutrina espírita em Londres. Em seu novo romance, Rafael Figueiredo, inspirado por Frei Felipe, conduz o leitor a vivenciar os primórdios do desenvolvimento do Espiritismo, no final do século XIX. Os protoganistas, são o médico..
Narrado pelos olhos da vítima, Uma razão para respirar traz ao leitor a possibilidade de viver na pele o drama de quem carrega, além da dor física, impactos psicológicos que influenciam suas escolhas, decisões, relacionamentos, vida social e o modo como enxerga a sua...
img
Enquete
img
Em sua opinião, a liberação do contorno viário foi positiva ou negativa?
Positiva, tirou o tráfego pesado do Centro da cidade;
Negativa, antes deveria ter feito às obras necessárias na BR 135;
Positiva, vai desafogar o trânsito no período de Carnaval;
Negativa, apenas transferiu o problema de um local para outro.
Outra: Comente.
Classificados
img




img
img
img
img
Entretenimento
img
img
Galeria de Fotos
img
img
img
img
img
TV Novoeste
img
Thumbnail
img
img