Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > JUVENTUDE CRÍTICA > Juventude Crítica > Brasileiro: cidadão despatriado
 
Professor:
HENRIQUE VIANA
Licenciado em Letras pela UNEB,
Especialista em Estudos Linguísticos:
Leitura e
Produção Textual, pela UNEB,
Professor no Gauss - Centro de Estudos.
img

Depoimentos:

;
img
Brasileiro: cidadão despatriado
10/11/2016 as 11:36 h  Autor admin  Imprimir Imprimir
O romancista José de Alencar, ao escrever “O Guarani”, mostrou-se interessado em exaltar as características do nativo brasileiro. Tal atitude não se encontra com tanta facilidade, sobretudo no comportamento do brasileiro contemporâneo em que o patriotismo beira a inexistência e a identidade nacional não é valorizada. Nesse viés, a histórica ausência de movimentos populares nacionalistas aliada à influência estrangeira ainda agravam a falta de patriotismo do brasileiro.

Na história do País Tupiniquim, as grandes conquistas, quase em sua totalidade, foram realizadas pela elite, desde a independência da nação em 1822 até a proclamação da república no sim do mesmo século. Entretanto, o caráter nacionalista não foi incentivado por esses grupos, diferente do que aconteceu na Unificação da Alemanha, marcada pela célebre frase “Agora que fizemos a Alemanha, faltam os alemães”. Tal afirmação retrata a preocupação de formar uma identidade nacional, diferente dos brasileiros que não demonstraram esse interesse.

Além disso, a interdependência dos países - herança do mundo multipolar - trouxe as culturas estrangeiras para o Brasil, e hoje, a influência estadunidense praticamente reina no país. Dessa forma, os cidadãos, já pouco nacionalistas, ao entrarem em contato com as culturas estrangeiras não absorvem apenas as características louváveis e passam a reproduzir completamente o estilo de vida forasteiro. Assim, excluindo-se raras situações, como as vivenciadas durante a copa do mundo de 2014, a formação de cidadãos sem amor à pátria é promovida pela grande influência da cultura de fora no Brasil.

Os estrangeirismos e a ausência do caráter popular brasileiro, portanto, contribuem negativamente para a identidade nacional. Desse modo, a fim de solucionar tal problema, as escolas em conjunto com os pais devem estimular o nacionalismo, promovendo o conhecimento da nação e de seus feitos para que os jovens orgulhem-se do país. Ademais, o Estado, em suas três jurisdições, pode estimular a formação de uma cultura patriota, mesmo que tardia, vangloriando figuras populares do país ou tornando alguma área do país, como o sistema de saúde, exemplo aos outros, para orgulhar a população.
 


Eugênio Nunes do Carmo
Aluno do Gauss - Centro de Estudos


Comente via Facebook

Leia mais
administrador
Barreiras e o Oeste perde seu maior lider religioso. Que o Pai dê o descanso/repouso merecido. Estamos de luto e na esperança dele está sentado ao lado direito do Pai e sua Mãe Maria Santíssima!
17
Ago
administrador
D. Ricardo exerceu o papel de verdadeiro pastor, moro no Paraná há 8 anos, mas me sinto parte de seu rebanho. Há 3 anos tive o privilégio de ter meu casamento realizado por ele fechando o ciclo de meus sacramentos. Vou sentir muito sua falta. Saudades eternas.
17
Ago
administrador
Barreiras e a Região Oeste da Bahia sente muito a partida do nosso Pastor. Deus o conceda a Luz e o Descanso Eterno.
17
Ago
img





img
RSS  Artigos Artigos

A proteção social deve perseguida como prioridade por qualquer sociedade que busca o desenvolvimento socioeconômico e a estabilidade política. No Brasil, ainda temos milhões de cidadãos que vivem desprotegidos e necessitam do sistema de seguridade e de previdência públicos, sem os quais os impactos políticos, econômicos e sociais atingiriam a todos. O fato é que a grande maioria das famílias brasileiras não pode...
A ação da Polícia Federal na Universidade Federal de Minas Gerais, uma repetição da violência praticada também contra a Universidade Federal de Santa Catarina – que culminou com a morte do reitor Carlos Cancellier – parece indicar efetivamente, como denunciou o senador Roberto Requião, uma...
Disse o Sérgio Moro de sempre, diante de um comentário do ex-presidente Lula sobre os desmandos da justiça, que não debateria “publicamente com pessoas condenadas por crimes”. É a cara dele. Acha-se no direito de tecer comentários sobre tudo e sobre todos, projetando-se...
Nos últimos três anos, a Petrobras, maior empresa brasileira, foi alvo de um processo sistemático de desmoralização. Como resultado, a companhia começou a ser esquartejada, com vários de seus ativos sendo vendidos sem nenhuma transparência, e o pré-sal, maior...
Virou moda atribuir a violência e a criminalidade à falta de policiamento ou aos métodos de trabalho empregados pela força policial. O tema já sustentou muitas campanhas eleitorais e serviu de instrumento para os agitadores sociais atingirem seus objetivos. Uns clamam por maior presença...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
Com os filhos pequenos à sua volta, Graça Ramos fazia a brincadeira das palavras para estimulá-los a construir um vocabulário rico. “Saía muito disparate”, ela se diverte ao lembrar. Ainda grávida, lia em voz alta para que os bebês em...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK