Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > JUVENTUDE CRÍTICA > Juventude Crítica > As várias faces da intolerância
 
Professor:
HENRIQUE VIANA
Licenciado em Letras pela UNEB,
Especialista em Estudos Linguísticos:
Leitura e
Produção Textual, pela UNEB,
Professor no Gauss - Centro de Estudos.
img

Depoimentos:

;
img
As várias faces da intolerância
10/11/2016 as 11:25 h  Autor admin  Imprimir Imprimir
Fruto de um longo processo de imposição cultural, étnica e religiosa, a sociedade atual presencia, em demasia, a intolerância praticada por indivíduos que acreditam na supremacia de uns sobre outros. Nesse esteio, hoje, as várias faces da intolerância configuram-se imprescindíveis de serem erradicadas, com ações nos âmbitos sociais e virtuais, visto que a manutenção de tais práticas maculam os Direitos Humanos e a ordem social.

No que tange à discriminação contra indivíduos por questões religiosas, culturais e étnicas, encontram-se hoje no Brasil, diversos grupos que permeiam ideais de ódio baseados em conceitos de superioridade, como o Ku Klux Klan, com orientação racista contra negros. Nesse âmbito, indivíduos que fazem parte de tais organizações e perpetuam o ódio por meio de agressões físicas e verbais possuem, segundo Freud, orientações no seu inconsciente oriundas de traumas ou influências na fase da infância. Essas ações refletem no modo de agir e pensar dos indivíduos e, dessa forma, contribuem para que sejam intolerantes, considerando o outro um diferente.

Outrossim, destaca-se a internet como ferramenta que possibilita a disseminação de discursos intolerantes. O anonimato dos usuários da rede influencia pessoas, em diversas partes do mundo, a colocarem em evidência o lado discriminatório, até então camuflado no inconsciente, de acordo o que afirmou Freud. Nesse aspecto, frisam-se as redes sociais como instrumento de difusão dos ideais e práticas desumanas, como os do Estado Islâmico, que integra adeptos a sua organização e, dessa forma, permite práticas de ações violentas em vários países, como o atentado na França. Nesse modo, devido à facilidade de acesso às redes sociais, as várias faces da intolerância ganham mais espaço, o que desafia a manutenção dos Direitos Humanos.

Faz-se necessário, portanto, maior comprometimento do Estado, através da Lei de Diretrizes e Bases da Educação, na criação de disciplinas, desde a educação infantil, que apresentem aos alunos a diversidade cultural, étnica e religiosa que o Brasil possui e a importância do respeito às manifestações de todo e qualquer povo. Além disso, é crucial a parceria do Estado nas escolas com os pais a fim de promoverem, por meio do diálogo com os mais novos, o ensinamento acerca do respeito e diversidade existente na sociedade, contribuindo para a formação responsável do inconsciente da criança. Ademais, é ainda dever do Estado, maior controle na rede com a identificação dos indivíduos que praticam discriminação e a consequente punição por meio da Delegacia de Crimes Virtuais. Assim, poderá ser garantido o respeito aos Direitos Humanos e a ordem social.
 


José Vitor Cambuí
Aluno do Gauss - Centro de Estudos


Comente via Facebook

Leia mais
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

Quando me perguntam se é possível aplicar na educação brasileira práticas bem-sucedidas de países com melhores resultados educacionais que o Brasil, costumo responder - para surpresa do interlocutor - com uma afirmação e uma negativa. Essa conjunção de ‘sim e não’ é a...
Até o pleito de outubro, os eleitores colocarão uma lupa sobre os candidatos. Farão um controle mais apurado do que em eleições passadas. Primeiro, em função da desconfiança que paira sobre os políticos. Segundo, porque o voto começa a sair do coração para subir à cabeça. O voto...
Na esteira da decretação de intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro, vemos o embate de como executar o trabalho. Membros do governo dizem que as Forças Armadas não terão poder de polícia, falam em ação de busca e apreensão monitorada pelo Judiciário e...
Isso é Brasil! Até onde vai a promiscuidade dos nossos governantes?  Será que estão realmente preocupados com a melhoria do ensino de medicina ou com possíveis futuros financiadores de campanhas políticas, em face à realidade nacional?  Pois bem; de olhos gananciosos no alto...
O escritor sergipano Ariosvaldo Figueiredo escreveu certa vez que “moralismo e juridicismo são vertentes ideológicas de uma pequena minoria conservadora”. Frase que nunca esteve tão atual como nos dias em que vivemos, onde quem deveria zelar pela moral e pelos bons...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Como falar às crianças e adolescentes sobre respeito às diferenças? E se essas diferenças forem algo de certa forma muito difícil de explicar? É isso que faz de forma poética e muito alegre o livro Você sabe quem eu sou? Então vou te contar, de Herica B. T. Secali.
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK