Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Notícias Destaque > Pauta Livre > “Hoje moro na cidade, fiz meu lar numa cabaça”
 
NOTÍCIAS DO DIA... NOTÍCIAS DO DIA...
“Hoje moro na cidade, fiz meu lar numa cabaça”
25/11/2017 as 13:03 h  Autor Editoria  Imprimir Imprimir
As abelhas nativas do Brasil, como a jataí, uruçu e muitas outras não possuem ferrão, por isto não podem picar nem morder ninguém. São menores que as europeias e africanas, que foram introduzidas no Brasil, porque, sendo estas muito maiores, fabricam maior quantidade de mel. No entanto, atacam as pessoas com picadas que podem causar problemas sérios.

Em Barreiras só conhecíamos o mel das abelhas típicas daqui, até que, na década de 1940, o Dr. Geraldo Rocha trouxe a primeira colmeia de abelhas europeias para a sua fazenda Água Doce, que passou a produzir e vender o mel. Lembro-me de que meu pai comprou e era diferente do que conhecíamos, mais grosso e muito saboroso.

Com o tempo, vários enxames escaparam da Água Doce e foram se espalhando por toda a nossa região, onde as pessoas começaram a chamá-las "oropa". Atualmente, em diversos lugares do Oeste baiano, instalaram-se apiários, que, com toda a tecnologia necessária, produzem grande quantidade de excelente mel e outros produtos. Um desses lugares é Ibotirama, mas outro dia fui a Taguá, distrito de Cotegipe, e lá também está havendo produção.

Era um costume antigo barreirense colocar um enxame de abelhas jataí numa cabaça preparada para recebê-las, então, há muitos anos, pedi a meu esposo, Carlos, para fazer uma para nós. Fica pendurada no nosso alpendre e convive conosco amigavelmente.

“Abelhinha brasileira

Ignez Pitta de Almeida

Abelhinha brasileira não tem ferrão nem veneno,
De tamanho bem pequeno, voa assim, toda faceira.
Sou a abelha jataí, meu mel é medicinal,
Sou mansinha e muito amiga, não pico e nem faço mal!
Eu vivia lá na roça, na curva onde o rio passa.
Hoje moro na cidade, fiz meu lar numa cabaça.
Doce lar, favo de mel, onde nascem abelhinhas
Que crescem e vão se tonar operárias e rainhas.
Lar das abelhas, colmeia, feita de cera e de mel.
Crescendo com o doce alimento, irão voar pelo céu...
Num quintal com muito verde, tem flores de toda cor,
Abelhas sugando néctar para o mel do seu amor.
Tem flores de toda espécie, lá no quintal da vovó.
Abelhinha beija as flores, suga o néctar sob o sol.
Vai levando-o pra a colmeia, lá onde o enxame se abriga,
Vai fazê-lo virar mel, pra alimentar suas amigas!”

Por Ignez Pitta de Almeida, historiadora

OS: Como sempre Da. Ignez volta a surpreender, desta vez com as abelhinhas jataí. O poema é belo e Imutável, mas no meu caso ao invés de “Hoje moro na cidade, fiz meu lar numa cabaça” posso dizer “Hoje moro na cidade, fiz meu lar na caixa padrão de energia do jornal Novoeste”. Estou há quase 27 anos no jornal e estas abelhinhas estão aí a muito mais tempo do que eu. A vigília e o cuidado são permanentes para que ninguém as perturbe (Tenório de Sousa).



Abelhinhas Jatai fizeram de seu lar a caixa
padrão de energia do jornal Novoeste



Comente via Facebook

Mais Notícias
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

Quando me perguntam se é possível aplicar na educação brasileira práticas bem-sucedidas de países com melhores resultados educacionais que o Brasil, costumo responder - para surpresa do interlocutor - com uma afirmação e uma negativa. Essa conjunção de ‘sim e não’ é a...
Até o pleito de outubro, os eleitores colocarão uma lupa sobre os candidatos. Farão um controle mais apurado do que em eleições passadas. Primeiro, em função da desconfiança que paira sobre os políticos. Segundo, porque o voto começa a sair do coração para subir à cabeça. O voto...
Na esteira da decretação de intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro, vemos o embate de como executar o trabalho. Membros do governo dizem que as Forças Armadas não terão poder de polícia, falam em ação de busca e apreensão monitorada pelo Judiciário e...
Isso é Brasil! Até onde vai a promiscuidade dos nossos governantes?  Será que estão realmente preocupados com a melhoria do ensino de medicina ou com possíveis futuros financiadores de campanhas políticas, em face à realidade nacional?  Pois bem; de olhos gananciosos no alto...
O escritor sergipano Ariosvaldo Figueiredo escreveu certa vez que “moralismo e juridicismo são vertentes ideológicas de uma pequena minoria conservadora”. Frase que nunca esteve tão atual como nos dias em que vivemos, onde quem deveria zelar pela moral e pelos bons...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Como falar às crianças e adolescentes sobre respeito às diferenças? E se essas diferenças forem algo de certa forma muito difícil de explicar? É isso que faz de forma poética e muito alegre o livro Você sabe quem eu sou? Então vou te contar, de Herica B. T. Secali.
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK