Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A justiça da ministra que quer que a sociedade se cale diante da injustiça
 
A justiça da ministra que quer que a sociedade se cale diante da injustiça
02/02/2018 as 15:51 h  Autor Genaldo de Melo  Imprimir Imprimir
A justiça no sentido mais literal da palavra deve sempre ter razão em suas prerrogativas, e as palavras na abertura dos trabalhos do Supremo Tribunal Federal de sua presidente, Carmen Lúcia, condiz com a mais absoluta verdade, ou seja, não se deve contestar a verdade da justiça. Mas no contexto em que foi proferido o discurso da nobre ministra a justiça pode muito bem está totalmente errada.

É preciso ser mais do que mentecapto para não querer admitir que o objeto da acusação que condenou o ex-presidente Lula não foi justo como exige as prerrogativas e os rigores da justiça. Somente quem não tem condições ou não quer ter outras fontes de informações, além da Rede Globo, é que pode admitir que o apartamento do Guarujá pode servir como prova contra Lula por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Carmen Lúcia pode está certa em seu discurso, mas está totalmente fora de contexto, por isso que os aliados de Lula partiram para o ataque verbal contra a injustiça da justiça brasileira. Ficar calado diante do que aconteceu é pusilanimidade, porque todos sabem que o apartamento não é de Lula, ele foi penhorado por uma dívida do verdadeiro dono do apartamento que é a OAS.

A ameaça velada no discurso de Carmen Lúcia esconde um dos maiores perigos para a sociedade brasileira, porque quando a justiça age não de forma jurídica, mas invade o campo da política, estamos diante das premissas para um estado de exceção perigoso, porque quando a justiça começa a fazer política nenhum cidadão pode mais ter a quem recorrer para a verdade da justiça vir à tona.

É preciso realmente ser muito mentecapto para não enxergar que a decisão do TRF-4 foi política, porque se quiserem condenar um acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro tem que fazer com provas cabais, não com apartamentos dos outros que está sendo motivo de pagamento de dívidas. Aqui a justiça não está sendo justa, se fosse justa não condenava com espetáculos midiáticos apenas Lula, mas também colocava no cadafalso da justiça indivíduos notoriamente acusados e com provas como Michel Temer, Aécio Neves, Moreira Franco, Rocha Loures, e outras aves de rapinas.

A aceitação irrestrita e de bom grado exigida por Carmen Lúcia cai no vazio da falta de seriedade quando ela fala isso na abertura de um Tribunal, que deve ser justo e decidir com provas nos crimes que julga, com a presença de sujeitos mais do que acusados de corrupção, principalmente na presença de um homem como Michel Temer, que todo mundo sabe que foi acusado de crimes pelo MPF e comprou os deputados para se livrar das acusações.

A justiça para ser justa deveria também exigir uma explicação urgente do maior escândalo já registrado na história mundial, que foi aqueles tantos e tantos milhões em dinheiro vivo do amigo do presidente, o senhor Geddel Vieira, que a própria justiça parece que faz questão de deixá-lo escondido e quieto na Papuda. Para condenar Lula e a sociedade não reagir, a prova deveria ser de fato um apartamento recebido como propina por Lula no “nome” dele, e não um apartamento que pertence a Construtora OAS.

A justiça de Carmen Lúcia é a justiça dos homens e mulheres que recebem “míseros” milhares de reais por mês acima do teto constitucional, são donos de imóveis de luxos e ainda recebem “horrores” de auxílios-moradia e outras regalias mais. Diante disso, a sociedade tem é que reagir mesmo, senão daqui as uns dias nem mesmo escrever poderemos mais, porque a "justiça" vai contestar tudo e dizer que estamos todos contestando quem não deve ser contestado quando está fazendo política. A política é a arte de contestar mesmo, e se estão fazendo política, então...!




Por Genaldo de Melo
Fonte: genaldo40.blogspot.com

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

A festa do Carnaval sempre esteve associada, desde os mais remotos tempos, a uma manifestação de  desabafo e de esperança. Associada, no hemisfério norte, ao fim do inverno, início da primavera, tempo de semeadura, um trabalho danado, um sofrimento daqueles e então tinha a festa...
Na Boa Nova de Jesus, aprendemos com o Preceptor Celestial que é imprescindível “amar-nos uns aos outros como Ele nos tem amado” (Evangelho, segundo João, 13:34). E mais: passamos a definir qualquer situação, de modo que a necessidade do ensinamento do Senhor quanto...
Vivemos o Carnaval com a grande dúvida sobre a aprovação ou não da reforma da Previdência Social, cuja votação era prevista para o dia 19 e agora é esperada para ocorrer no dia 28. Os contrários dizem que o governo não conseguirá reunir 308 deputados favoráveis que necessita...
O melhor caminho para descobrir onde estamos e para onde vamos é dedicar um tempinho a analisar o espírito do tempo: situações que levam as pessoas a avaliar sua condição, movimentos que enchem as ruas, frustrações geradas por expectativas que não ocorrem, circunstâncias que...
A corrupção é um dos piores flagelos da sociedade contemporânea. No Brasil tornou-se um mal terrível. O uso indevido dos recursos públicos e a ineficácia da justiça são facetas da triste realidade. A preservação da corrupção está muito relacionada com a poderosa indústria de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
Com os filhos pequenos à sua volta, Graça Ramos fazia a brincadeira das palavras para estimulá-los a construir um vocabulário rico. “Saía muito disparate”, ela se diverte ao lembrar. Ainda grávida, lia em voz alta para que os bebês em...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK