Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Povo responde à “QuantoÉ?” em tempo recorde
 
Povo responde à “QuantoÉ?” em tempo recorde
01/02/2018 as 10:59 h  Autor Wadih Damous  Imprimir Imprimir
Uma revista de baixíssima extração, um lixo que, embora oficialmente seja conhecida como IstoÉ, nos subterrâneos ganhou a alcunha de “QuantoÉ?, por estar sempre pronta a vender sua linha editorial para quem se dispuser a pagar mais, propôs o seguinte desafio : “Você votaria em um condenado pela justiça”?

Não tardaria a viralizar nas redes um vídeo-resposta, lembrando de heróis e estadistas que foram condenados e presos por regimes fascistas, colonialistas ou segregacionistas e depois acabaram ungidos pelo povo à liderança máxima de seus países, como Nelson Mandela, Hugo Chávez, Pepe Mujica, Mahatma Gandhi, dentre outros.

Mas, com certeza, os editores da revista não contavam com uma resposta tão rápida e  contundente do eleitorado. Pesquisa do instituto Datafolha publicada nesta quarta-feira, 31 de janeiro, tem o efeito de um balde de água gelada sobre os protagonistas da caçada a Lula incrustados nos poderes do Estado e na mídia monopolista.

O levantamento mostra que a condenação unânime e cartelizada dos três patetas do TRF-4, de Porto Alegre, a despeito de todo o estardalhaço da Rede Globo e congêneres, não provocou um arranhão sequer na candidatura de Lula à presidência da República.

De acordo com o levantamento, feito nos dias 29 e 30 de janeiro, Lula lidera em todos os cenários, oscilando entre 34% e 37% das intenções de voto e bate com folga todos os adversários nas simulações de segundo turno.

A elite do dinheiro, formada pelos verdadeiros poderosos que se locupletam dos reais esquemas de corrupção, conforme nos ensina o professor Jessé Souza na sua obra monumental “A elite do atraso – da escravidão à Lava Jato”, morrerão sem compreender o fenômeno Lula, cujo lugar cativo no coração do povo brasileiro dá mostras a cada dia de ser irremovível.

Naturalmente quando o Datafolha pôs seus pesquisadores em campo na semana seguinte à farsa do TRF-4 dava como certo que a tão propalada, e falsa, inelegibilidade de Lula, após a condenação em 2ª instância, faria estrago na intenção de votos no ex-presidente. Deram, pela enésima vez, com os burros n’água.

Claro que muito provavelmente, durante a divulgação gradual dos próximos itens de pesquisa, o jornal Folha de São Paulo, ao qual o Datafolha é vinculado, abrirá manchetes para compensar a confirmação da dianteira de Lula, apontando, por exemplo, apoio expressivo na sociedade à prisão de Lula ou coisa parecida. Pouco importa.

E haja malabarismo para contornar a realidade. A Folha, em vez de estampar que Lula, apesar de condenado pela segunda vez consecutiva, segue impávido na liderança, resolveu enfatizar um hipotético cenário sem Lula, como se seu impedimento de disputar as eleições fosse favas contadas. Também houve uma nítida tentativa de mascarar o potencial extraordinário de Lula de transferir votos.

Em vão : 27% dos entrevistados disseram que votarão no candidato indicado por Lula, enquanto que outros 17% admitem que talvez levem em conta a indicação do ex-presidente na hora da definição do voto. Isso significa, simplesmente, que Lula exibe o poder de fogo invejável de levar qualquer candidato ao segundo turno.

Essa pesquisa só vem corroborar o acerto da decisão da direção executiva do PT de ir às últimas consequências em defesa da candidatura de Lula. Repito: quem vai decidir se Lula poderá concorrer ou não é a Justiça Eleitoral, a partir de 20 de agosto, quando abre o prazo para pedidos de impugnação. Na sequência, ainda restarão os recursos aos tribunais superiores. Não custa lembrar que vários candidatos em situação similar à de Lula foram autorizados a concorrer nas últimas eleições. É Lula 2018 com a força do povo.

.x.x.x.x.




Wadih Damous
, deputado federal e ex-presidente da OAB-RJ
Fonte: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

A festa do Carnaval sempre esteve associada, desde os mais remotos tempos, a uma manifestação de  desabafo e de esperança. Associada, no hemisfério norte, ao fim do inverno, início da primavera, tempo de semeadura, um trabalho danado, um sofrimento daqueles e então tinha a festa...
Na Boa Nova de Jesus, aprendemos com o Preceptor Celestial que é imprescindível “amar-nos uns aos outros como Ele nos tem amado” (Evangelho, segundo João, 13:34). E mais: passamos a definir qualquer situação, de modo que a necessidade do ensinamento do Senhor quanto...
Vivemos o Carnaval com a grande dúvida sobre a aprovação ou não da reforma da Previdência Social, cuja votação era prevista para o dia 19 e agora é esperada para ocorrer no dia 28. Os contrários dizem que o governo não conseguirá reunir 308 deputados favoráveis que necessita...
O melhor caminho para descobrir onde estamos e para onde vamos é dedicar um tempinho a analisar o espírito do tempo: situações que levam as pessoas a avaliar sua condição, movimentos que enchem as ruas, frustrações geradas por expectativas que não ocorrem, circunstâncias que...
A corrupção é um dos piores flagelos da sociedade contemporânea. No Brasil tornou-se um mal terrível. O uso indevido dos recursos públicos e a ineficácia da justiça são facetas da triste realidade. A preservação da corrupção está muito relacionada com a poderosa indústria de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
Com os filhos pequenos à sua volta, Graça Ramos fazia a brincadeira das palavras para estimulá-los a construir um vocabulário rico. “Saía muito disparate”, ela se diverte ao lembrar. Ainda grávida, lia em voz alta para que os bebês em...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK