Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > O principal remédio para essa doença política é o povo
 
O principal remédio para essa doença política é o povo
28/10/2017 as 12:32 h  Autor Genaldo de Melo  Imprimir Imprimir
Depois que perderam as eleições presidenciais de 2014, membros dos partidos políticos de direita no Brasil não fizeram outra coisa senão contribuir para que o país cada vez mais ficasse doente politicamente. Sujeitos que sempre estiveram envolvidos no que existe de mais nojento em nossa política, principalmente a usurpação da coisa pública para despolitizar nosso povo, comprando assim votos e consciências alheias para se manterem em posição permanente de poder, somente transmitiram suas próprias doenças políticas para a sociedade.

No Brasil não havia o ódio político, e todo mundo sabe muito bem disso. O grupo político que venceu quatro vezes seguidas nas últimas eleições presidenciais foi o mesmo grupo que perdeu antes desse processo também quatro eleições seguidas, mas não colocou o povo brasileiro para se odiar por paixões políticas. Desse modo, fica bem mais fácil para quem não resiste à raciocínio compreender que o Brasil está cada vez mais adoecendo, porque são doentes os representantes políticos que estão no poder central sem o voto do povo.

O discurso contrário a esse raciocínio de que politicamente uma parcela da sociedade brasileira está ficando doente e querendo contagiar o resto da mesma, cai por terra quando vemos esse fenômeno político (que deve ser no futuro estudado por cientistas políticos e sociólogos) da mais descarada insistência de Michel Temer e sua turma em utilizar toda a estrutura da máquina pública para permanecer no poder a qualquer custo, contra tudo e contra todo o povo brasileiro.

Não é normal um homem que rejeitado politicamente por 95% do povo que representa, ser o único Presidente da República a ser denunciado por corrupção passiva e obstrução de justiça, e conseguir maquiavelicamente permanecer no poder utilizando a força do dinheiro público, via concessões bilionárias e liberação de emendas também bilionárias. Não é normal para uma sociedade que deveria ser chamada de sadia ouvir de um deputado federal que esse governo deve liberar rios de dinheiro para os seus aliados e os outros que bebam água e esperem...!

E seria não somente o cúmulo do absurdo, mas também extremamente doentio, dizer que quem está doente é o povo porque quer Lula de volta. O povo em sua grande maioria como provam as pesquisas, principalmente do Instituto Datafolha de propriedade de gente que defende esses doentes que estão no poder, querem de volta Lula, talvez nem mesmo porque considere ele o melhor, mas porque está descobrindo aos poucos que não pode e não quer ser governado por doentes terminais, que destruíram a democracia brasileira.

Com tudo isso, o país que é formado por cerca de 207 milhões de habitantes não pode e jamais deve se render a essa epidemia doentia de apenas poucos cafajestes, que acham que deve manter uma doença no poder, por causa de concessões e emendas parlamentares, que já ultrapassam R$ 32 bilhões, quando se fala tanto em austeridade fiscal contra o próprio povo. Mas quem tem que reagir é o próprio povo, e precisa urgentemente de seus legítimos líderes...!




Por Genaldo de Melo
Fonte: genaldo40.blogspot.com

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

Simão Cireneu encontrava se bem distante de Cirene, sua cidade natal situada no norte da África, atual Líbia, por ocasião da crucificação de Jesus. Simão se dirigira a Jerusalém, naqueles dias, para participar das festas de Páscoa, e encontrava-se ali para cumprir um ritual religioso....
A agenda da reforma trabalhista e sindical está pautada na sociedade brasileira há algum tempo, em função de vários motivos, como as mudanças na base produtiva e na divisão internacional do trabalho, a expansão do setor de serviços e a disseminação de novas tecnologias e do...
O sentimento de amizade verdadeira, firmada na labuta diária, é fator significativo no fortalecimento das relações, para a superação dos dissabores, não somente no âmbito familiar, também no coletivo. No Apocalipse de Jesus, 1:9, João Evangelista revela — por causa da palavra de Deus e...
O Brasil vive delicado momento. Não se trata apenas de crise política ou econômica, o que preocupa é a crise de firmeza de decisão, de rumos para o país. Talvez fosse este o momento de firmar posições, abandonar dogmas superados e adotar o modernismo administrativo. Fundamentado...
A intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro parece medida tardia, se analisada a partir do estado de guerra vivido pelos cariocas já há um bom tempo. E a criação do Ministério da Segurança Pública pode ser a medida adicional para a retomada do controle naquela e nas...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Como falar às crianças e adolescentes sobre respeito às diferenças? E se essas diferenças forem algo de certa forma muito difícil de explicar? É isso que faz de forma poética e muito alegre o livro Você sabe quem eu sou? Então vou te contar, de Herica B. T. Secali.
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK