Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > Não há luz sem cruz!
 
Não há luz sem cruz!
03/08/2017 as 16:26 h  Autor Padre Ezequiel Dal Pozzo  Imprimir Imprimir
Temos uma ideia comum de que a vida passa pela cruz. A religião cristã nos diz que a ressurreição é precedida pela cruz. A vida é sempre vitoriosa, mas não acontece sem passar pelo sofrimento, pela morte. Essa ideia, por vezes, é complementada com a compreensão de que Deus nos dá cruzes. Ainda se ouve por aí esse refrão: "Deus não te dá uma cruz maior do que você possa carregar". Essa ideia aparentemente piedosa é perigosa, ou melhor, mentirosa. Deus nunca deu cruzes para ninguém. Ele não dá cruzes. O que Deus mais faz é nos ajudar a sustentar a vida. Está conosco nos ajudando a carregar as cruzes para vencermos o sofrimento. Ele sustenta a realidade e a vida com seu amor. Nunca dá e nunca deu cruzes a ninguém.

A vida, porém, passa pela cruz, pela dor e sofrimento. Não há quem não sofra, quem não experimente a força do limite. Sofremos porque somos limitados e finitos. Somente a plenitude pode nos livrar do sofrimento. E não há plenitude enquanto estamos vivos nesse mundo. Pleno significa completo, sem limite, sem finitude, sem carências, sem desejos, feliz por ser o que é, sem necessidade de nada além daquilo que tem, pleno na realidade em que está. Só a plenitude será uma realidade sem dor.
    
Ocorre que o ser humano é finito, limitado, carente, sempre desejando algo mais, quer a plenitude. Porque é limitado, passar pela dor e sofrimento se torna uma realidade inevitável. Podemos aprender a lidar com os sofrimentos. Quem se rebela ou revolta com o sofrimento, sofre mais. Para lidar bem com o sofrimento, a primeira coisa é perceber que a vida é composta de luz e de cruz, de alegrias e de dor, de perdas e ganhos. Não é correto pensar que é possível viver sem sofrimentos. Não posso anestesiar a dor com analgésicos o tempo todo. A dor existencial não se acomoda com remédios. Preciso encarar a dor, carregá-la e carregar significa suportar o peso da dor. Não é possível se livrar da dor da vida, segundo a nossa vontade. Pela nossa vontade não gostaríamos de sofrer. Ninguém quer o sofrimento. Contudo, quando ele acontece em nossa vida, precisamos saber que é um peso que precisamos carregar, suportar. Esse peso também pode ser compartilhado com quem amamos e com Deus a quem podemos confiar. Porém, fundamentalmente a dor é algo meu, intransferível, que posso aprender a lidar de um jeito inteligente para que me seja menos pesado e suportável. Quem não aprende a lidar pode ser esmagado pelo peso do sofrimento e não conseguindo carregar essa dor pode até querer desistir da vida. Nessa hora a pessoa pode dizer que a cruz lhe é pesada demais, insuportável.
   
Aprender a lidar, suportar, carregar a dor é passar da cruz à luz. Viver a vida de forma consciente e de maneira inteligente significa assumir esse processo o tempo todo. Com mais ou menos intensidade todos passamos pela dor e também experimentamos a alegria da superação. Essa é a construção da vida que se faz na aprendizagem constante entre as perdas e ganhos, dores e alegrias, cruz e luz. Despertemos sempre mais para o amor!



Padre Ezequiel Dal Pozzo   
contato@padreezequiel.com.br
www.padreezequiel.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img





img
RSS  Artigos Artigos

A ação da Polícia Federal na Universidade Federal de Minas Gerais, uma repetição da violência praticada também contra a Universidade Federal de Santa Catarina – que culminou com a morte do reitor Carlos Cancellier – parece indicar efetivamente, como denunciou o senador Roberto Requião, uma...
Disse o Sérgio Moro de sempre, diante de um comentário do ex-presidente Lula sobre os desmandos da justiça, que não debateria “publicamente com pessoas condenadas por crimes”. É a cara dele. Acha-se no direito de tecer comentários sobre tudo e sobre todos, projetando-se...
Nos últimos três anos, a Petrobras, maior empresa brasileira, foi alvo de um processo sistemático de desmoralização. Como resultado, a companhia começou a ser esquartejada, com vários de seus ativos sendo vendidos sem nenhuma transparência, e o pré-sal, maior...
Virou moda atribuir a violência e a criminalidade à falta de policiamento ou aos métodos de trabalho empregados pela força policial. O tema já sustentou muitas campanhas eleitorais e serviu de instrumento para os agitadores sociais atingirem seus objetivos. Uns clamam por maior presença...
Lembrei-me da música “A ordem do inverso” quando vi a reportagem sobre o primeiro transplante de coração do mundo. O Brasil parece ser mesmo o país do tanto faz, o que é correto já não vale mais, pelo visto roubaram SIM a imparcialidade da impressa, mas do simples cidadão a consciência, ainda não. Veja como se encontra a “imparcialidade da imprensa” nessa reportagem do fantástico em comemoração aos 50 anos do...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
Com os filhos pequenos à sua volta, Graça Ramos fazia a brincadeira das palavras para estimulá-los a construir um vocabulário rico. “Saía muito disparate”, ela se diverte ao lembrar. Ainda grávida, lia em voz alta para que os bebês em...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK