Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A vitória de Temer e a sua tarefa
 
A vitória de Temer e a sua tarefa
03/08/2017 as 16:20 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&  Imprimir Imprimir
O presidente Michel Temer conseguiu evitar seu afastamento. É importante compreender que isso não representa o perdão aos crimes que possa ter cometido. Assim que entregar a faixa presidencial, terá de se explicar à Justiça, com a possibilidade de defender-se e, se for o caso, provar sua inocência. Além de tudo, autorizar ou não que o Supremo processe o presidente é a tarefa constitucional da Câmara dos Deputados, que foi cumprida. Verdade, que os parlamentares poderiam tê-lo feito de forma mais simples e discreta, sem os lances circenses que exibiram à nação durante a sessão, transmitida pelo rádio e TV e acompanhada pelos jornais e redes sociais. Esse comportamento, que chegou a ter lances de selvageria, só servem para turvar ainda mais a imagem da desgastada classe política, infelizmente.

Passado o episódio, pouco nos importa os métodos empregados – tanto pelo governo quanto pela oposição – para chegar à votação. A verdade absoluta é que o governo conseguiu mais do que os 172 votos que necessitava e a oposição não reuniu os 372 que lhe facultaria o afastamento presidencial. Tanto um lado quanto o outro deve estar consciente de que não têm prestigio suficiente para fazer tudo o que quiserem. O governo há de ter a sensibilidade para saber que não reúne os 372 votos necessários à aprovação de PECs (Propostas de Emenda Constitucional), como a da reforma previdenciária, por exemplo. Assim sendo, situação e oposição não devem se lançar em grandes empreitadas e precisam se respeitar, se isso ainda for possível.

Temer precisa reconhecer as limitações impostas ao seu governo e os oposicionistas, especialmente os petistas e seus aliados, carecem acabar com a inverossímil tese do golpe e a estúpida e inconstitucional campanha das “diretas já”. Os dois lados devem respeitar o povo que sofre na fila de desempregados e com a falta de serviços públicos que a Constituição garante mais o governo não oferece, e terem paciência de esperar até a chegada das eleições do próximo ano.

Queiram ou não seus adversários, Temer está investido no poder. Travar o governo é impatriótico e o próprio governo avançar com pautas que não tem condições de bancar, é temerário. Precisamos de equilíbrio entre as correntes políticas para que a estabilidade proporcione, pelo menos, o reequilíbrio da economia, a volta dos negócios, dos empregos e isso possa afastar pelo menos um pouco o sofrimento do povo.

O presidente tem de, com a possível humildade, reconhecer o limite do poder de fogo do seu governo e não partir para missões impossíveis. Não pode se esquecer de que ainda pode sofrer outras duas denúncias vindas do procurador-geral da República e ter outros contratempos. E. diante da brevidade do mandato que lhe resta, deve priorizar a economia, mesmo que para isso seja necessário abrir mão das reformas. Se o país pode quebrar sem as reformas, considere-se que já está quebrado no que se refere à economia.
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img


img
RSS  Artigos Artigos

Quando me perguntam se é possível aplicar na educação brasileira práticas bem-sucedidas de países com melhores resultados educacionais que o Brasil, costumo responder - para surpresa do interlocutor - com uma afirmação e uma negativa. Essa conjunção de ‘sim e não’ é a...
Até o pleito de outubro, os eleitores colocarão uma lupa sobre os candidatos. Farão um controle mais apurado do que em eleições passadas. Primeiro, em função da desconfiança que paira sobre os políticos. Segundo, porque o voto começa a sair do coração para subir à cabeça. O voto...
Na esteira da decretação de intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro, vemos o embate de como executar o trabalho. Membros do governo dizem que as Forças Armadas não terão poder de polícia, falam em ação de busca e apreensão monitorada pelo Judiciário e...
Isso é Brasil! Até onde vai a promiscuidade dos nossos governantes?  Será que estão realmente preocupados com a melhoria do ensino de medicina ou com possíveis futuros financiadores de campanhas políticas, em face à realidade nacional?  Pois bem; de olhos gananciosos no alto...
O escritor sergipano Ariosvaldo Figueiredo escreveu certa vez que “moralismo e juridicismo são vertentes ideológicas de uma pequena minoria conservadora”. Frase que nunca esteve tão atual como nos dias em que vivemos, onde quem deveria zelar pela moral e pelos bons...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Como falar às crianças e adolescentes sobre respeito às diferenças? E se essas diferenças forem algo de certa forma muito difícil de explicar? É isso que faz de forma poética e muito alegre o livro Você sabe quem eu sou? Então vou te contar, de Herica B. T. Secali.
Ao questionar Paulo Freire, Ronai Rocha analisa alguns dos paradigmas mais arraigados na nossa educação. A crise na educação brasileira é inegável. A baixa qualidade das aprendizagens, a estagnação do desempenho escolar nos testes padronizados, a pouca...
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK