Novoeste on-line - Onde o Oeste da Bahia é Notícia
> Principal > Artigos > Pauta Livre > A falência da Nova República
 
A falência da Nova República
12/04/2017 as 15:34 h  Autor Tenente Dirceu Cardoso Gon&cce  Imprimir Imprimir
A Sexta República Brasileira – inicialmente conhecida como Nova República – iniciada na eleição de 1985, quando o oposicionista Tancredo Neves venceu Paulo Maluf, candidato dos militares, parece agonizar. Depois da aguda crise política e econômica que levou a presidente Dilma Rousseff ao impeachment, oito ministros do governo Temer, 24 senadores 39 deputados, ex-presidentes da República e governadores são investigados como beneficiários dos esquemas de corrupção delatados pelos executivos da Odebrecht. Outros ainda poderão ir para o mesmo caminho nas delações das demais empreiteiras e esquemas apurados na Operação Lava Jato. Tudo isso num país em profunda crise econômica e sob a ameaça de distúrbios decorrentes das reformas – especialmente a trabalhista e a da previdência – que o governo insiste em realizar sob a alegação de serem imprescindíveis. A grande dúvida está sobre a representatividade do atual Congresso e do próprio governo com tantos investigados.

Culpa-se hoje a Constituição de 1988 – muito ampla, de mote parlamentarista e extremamente emendada, além de carente de regulamentações – como motivadora de pelo menos parte da desordem em que vivemos. Os defensores de uma nova Constituição vêem na sua elaboração o meio mais adequado para reformar o Estado, montar um sistema político-eleitoral funcional e responder às distorções que hoje atrapalham a vida nacional. Congressistas e até membros do governo concordam com a convocação da Constituinte, divergindo apenas sobre detalhes, o que é normal.

A partir da queda do império, vivemos a Primeira República (1889-1930), a Era Vargas (1930-1945), o Nacional Desenvolvimentismo (1946-1964), o Regime Militar, hoje chamado ditadura (1964-1985) e a Sexta ou Nova Republica (de 1985 até hoje). Cada período  teve suas dificuldades, crises, golpes e tentativas, endurecimentos e liberalidades que os conduziram ao fracasso. O Exército, que proclamou a República ao final do século 19, se fez presente na política até o final do regime de 1964 e depois se recolheu às suas funções. Hoje, com a falência da Sexta República, grupos pedem a sua volta.

O país vive um grave impasse. É o momento em que os brasileiros, especialmente os que detém algum tipo de liderança ou poder, se mobilizarem acima de ideologias, utopias e interesses próprios. É a hora de pensar no Brasil com toda sinceridade, e buscar o melhor para as futuras gerações. O ciclo vencido precisa, com a maior rapidez, ser substituído por um novo, que devolva a população as oportunidades, a ordem, a auto-estima e a perspectiva de melhores dias.
 



Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves
- dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) - aspomilpm@terra.com.br


 

Comente via Facebook
Mais Artigos
Não há comentários.
img



img
RSS  Artigos Artigos

Jesus, sendo o Supremo Governante do planeta Terra, em Sua Primeira Vinda Visível a este orbe, realizou também verdadeiros milagres socioespirituais. E ampliou o nosso olhar sobre a Religião, que, além do forte acolhimento espiritual, igualmente é, por isso mesmo, todo o...
Livre arbítrio é faculdade que DEUS nos deu gratuitamente, e é indubitavelmente, a causa de destruição e perdição de muitos seres humanos. A maioria das pessoas não tem noção da responsabilidade de usarmos com sabedoria nosso livre arbítrio, e freqüentemente ventos mais fortes ou...
O Brasil já estava na UTI quando os candidatos Aécio Neves e Dilma Rousseff se digladiavam para assumirem a Presidência da República, cada um prometendo mais do que o outro fazer deste país o mais desenvolvido do mundo. A presidente, apenas com a continuidade do céu de brigadeiro em que se encontrava o país em suas mãos; o outro, após a permanência dela por dois mandatos. Dilma Rousseff levou a melhor. O primeiro poste de...
Os tempos são bicudos. O presidente Michel Temer investe milhões na liberação de emendas parlamentares e atendimento de pedidos dos deputados, na esperança de rejeitar a denúncia que poderá afastá-lo do poder. Coincidência ou não, ao mesmo tempo, o governo promove...
A importância de como se governa e não quem governa no pensamento filosófico de Aristóteles e Políbio compartilhavam da uma mesma classificação das diversas formas de governo, antes do nascimento da República e do presidencialismo. O resultado da necessidade de...
img
img
img
PUBLICAÇÕES RECENTES
img




img

img
img
img
CASAS img LOTES img FAZENDAS
img
CHÁCARAS img PRÉDIOS COMERCIAIS img GALPÕES
img
RSS  Dicas de Leitura Dicas de leitura
img
Mais de quinze anos depois do lançamento de As aventuras de Pi, Yann Martel retoma ao cenário literário com o romance As altas montanhas de Portugal, publicado no Brasil pelo selo Tordesilhas. Nesse livro, Martel mantém o estilo inventivo e...
Com os filhos pequenos à sua volta, Graça Ramos fazia a brincadeira das palavras para estimulá-los a construir um vocabulário rico. “Saía muito disparate”, ela se diverte ao lembrar. Ainda grávida, lia em voz alta para que os bebês em...
Obra da Ática, lançada em 2011, traz as ilustrações originais de Jim Kay e tradução do escritor Antônio Xerxenesky. É o pesadelo de novo, como em quase todas as noites depois que a mãe de Conor ficou doente. A escuridão, o vento, os gritos – e o despertar no mesmo ponto, antes de...
img
img
RSS  Top Vídeos Top Vídeos
img
Thumbnail
img
img
img
RSS  Classificados Classificados
img



img
img



RSS GOOGLE + YOUTUBE TWITTER FACEBOOK